Projeto “2022: o Brasil que queremos” solicita adesão de afiliadas da Abruem

Propostas foram apresentadas na Reunião Administrativa desse mês de setembro

Dois dos coordenadores do movimento “2022: o Brasil que queremos” – Isaac Roitman, que é professor emérito da Universidade de Brasília (UnB), e Ulisses Riedel – participaram da Reunião Administrativa do mês de setembro da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais), realizada na última terça-feira (22). Na ocasião, eles apresentaram a iniciativa e também convidaram as instituições de ensino superior (IES) afiliadas à Associação a se tornarem parceiras do projeto.

O movimento é resultado da união de esforços de pessoas, todas voluntárias, empenhadas na construção de uma pauta coletiva em torno de temas de interesse nacional, com vistas a propor uma agenda positiva de construção de um país melhor. Para isso, foram definidos dez eixos para o debate e para proposição de ideias, metas e ações: Ciência e Tecnologia; Construção Geográfica do Espaço; Ecologia e Sustentabilidade; Educação; Ética; Meios de Comunicação; Política; Relações Internacionais; Saúde; e Social/Econômico.

Para cada um desses eixos temáticos foram estabelecidas perguntais iniciais para orientar as discussões. Desse modo, o tópico Educação sugere sete questões centrais, sendo que algumas delas se subdividem. Por exemplo: “Como promover práticas pedagógicas que favoreçam uma visão sistêmica que amplie a experiência de aprendizagem para uma responsabilidade social que vise a melhoria da realidade em todos os seus âmbitos?”; “Como reencantar a educação, fazendo da escola um local atrativo, no sentido de diminuir a evasão escolar?”; “Como estabelecer políticas públicas voltadas para a valorização da docência, com programas de desenvolvimento continuado para professores?”; “Como atuar para que uma educação de qualidade chegue a todos os brasileiros?”.

Todas as informações sobre o projeto, bem como a lista temática e o rol inicial de questões, podem ser conferidas no site do movimento. O presidente da Abruem, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), conta que os coordenadores do movimento explicaram que “as universidades devem promover discussões com as temáticas propostas. O resultados desses debates serão, então, inseridos no âmbito nacional do movimento”.

Os reitores presentes na reunião do último dia 26 se mostram favoráveis em relação ao reconhecimento da importância do movimento e, também, quanto a pertinência da adesão da Abruem a este conjunto de ações e discussões. Porém, a proposta, acordou-se, será submetida à apreciação na Plenária do 61. Fórum Nacional de Reitores, que será realizado no mês de novembro, em Roraima.

“Em caso de adesão das nossas universidades afiliadas, eles explicaram que, inclusive, todo o material produzido em em termos televisivos, em termos jornalísticos, em termos de cobertura das discussões feitas pelas instituições pode ser veiculado num dos canal de TV apoiadores do Movimento, no canal do “2022: o Brasil que queremos” no YouTube”, e ainda no site do projeto”, recupera Aldo.

O movimento “2022: o Brasil que queremos: é uma realização da UnB e da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), com apoio da TV Brasil, da TV Supren e da UnBTV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *