Austrália 2017: atividades dias 15 e 16 de outubro

Missão teve início pelo Estado de Queensland

Os integrantes da missão internacional da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) chegaram a Austrália, país de destino da visita técnica desse ano, no último domingo (15). A primeira etapa da viagem ocorre no Estado de Queensland, cujas instituições de ensino superior têm grande interesse na educação internacional.

“Iniciamente”, contou o presidente da Abruem, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), “como recepção da delegação, eles nos levaram para um passeio ao santuário dos coalas de Queensland. Na sequência, participamos de um ato de boas-vindas oficial, com um jantar oferecido no Museu de Queensland e promovido pelo Trade & Investments Queensland (TIQ)”.

Em Queensland, os integrantes da missão da Abruem foram recebidos pelo TIQ

O TIQ é unidade do governo do Estado de Queensland que tem como objetivo prospectar negócio e criar oportunidades, no caso, voltadas para o estabelecimento de parcerias na área da Educação, em especial, entre as universidades da localidade e as afiliadas a Abruem. Nesse sentido, o jantar contou com a participação da diretora executiva de Educação Internacional do TIQ, Vanessa Hall; do diretor do Museu, Tim, Thompsom; e do cônsul honorário do Brasil em Queensland, Valmor Moraes.

O segundo dia de atividades em solo australiano, a segunda-feira (16), teve início com uma reunião, que durou todo o período da manhã, organizada pela TIQ, visando estabelecer aproximações iniciais e, ainda, para que os dois lados pudessem apresentar suas particularidades e, assim, se conhecer melhor.

A diretora executiva para a área de Educação Internacional da Trade Investments, Vanessa Hall, abriu a audiência contextualizando Queensland no cenário australiano. Sua explanação mostrou que esse é o segundo maior Estado do País, com um área semelhante a do Estado brasileiro de São Paulo e com população aproximada de dois milhões de habitantes. Segundo Vanessa, Queensland tem dez universidades, das quais quatro estão entre as 300 melhores avaliadas do mundo e oito tem conceito igual ou superior a 3, numa escala que vai de 1 a 5, em um sistema próprio de avaliação da Austrália. A executiva lembrou ainda que dos quase 30 mil brasileiros que participaram de processos de mobilidade acadêmica na Austrália nos últimos anos, oito mil tiveram Queensland como destino. Assim, concluiu, a Educação é uma das áreas que mais riqueza gera para a economia do Estado.

O cônsul honorário do Brasil em Queensland, Valmor Moraes, foi o segundo a fazer uso da palavra durante a reunião. Ele reforçou os dados e números apresentados por Vanessa Hall e acrescentou que o Estado tem potencialidades múltiplas para o estabelecimento de parcerias para o desenvolvimento de pesquisas científicas – com especial interesse em agricultura, doenças tropicais e meio ambiente – e investe nessa área. Além da estrutura para o desenvolvimento de estudos, o cônsul afirmou que as instituições de ensino superior estão preparadas para acolher e apoiar estudantes em mobilidade, incluindo atendimentos médico e psicológico, além da oferta de cursos de aprimoramento do idioma.

Valmor Moraes, Aldo Bona, Vanessa Hall e Tim Thompson

Na condição de presidente da Abruem e, portanto, líder da comitiva, o reitor Aldo Bona também fez uso da palavra, visando apresentar a Associação e dados referentes à educação superior brasileira. Além disso, ele enfatizou os interesses das universidades afiliadas à Abruem na realização da missão ao país. “Estamos aqui buscando criar oportunidades de mobilidade para os estudantes de graduação e de pós-graduação, com Brasil e Austrália, simultaneamente, enviando e recebendo alunos. Também queremos oportunizar o desenvolvimento de pesquisas conjuntas. Ações que permitirão qualificar, via internacionalização, nossos cursos e programas. A Abruem e os reitores associados acreditam que as parcerias surgem e se solidificam à medida em que as pessoas estão em contato. É por isso que estamos aqui”, disse.

O reitor da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), Sandro Roberto Valentini, integrante da comitiva da Abruem, falou na sequência com o intuito de relatar as experiências de parcerias estabelecidas entre sua Instituição e universidades australianas, explicitando como elas se construíram e como estão sendo mantidas via Building Strategic Partnerships with Australian Universities.

Finalizando a reunião da manhã, três alunas de pós-graduação brasileiras contaram sobre as experiências que estão tendo em distintos cursos – Ciências Biológicas, Psicologia e Engenharia Ambiental – ofertados por universidades localizadas no Estado de Queensland.

Já na tarde do dia 16, divididos em grupos, os reitores, vice-reitores e diretores de escritórios de Relações Internacionais integrantes da missão organizada pela Abruem à Austrália visitaram três instituições de ensino superior de Queensland – University of Queensland, Australian Catholic University e University of the Sunshine Coast. 

Reitor Haroldo Reimer (UEG) entrega homenagem da Abruem ao pro vice-chancellor Robert Elliot, da Catholic University

Na University of Sunshine Cost (USC), os integrantes da comitiva brasileira foram recebidos pelo vice-chancellor da Universidade, professor Roland de Marco. Ele manifestou apoio a parcerias entre as afiliadas da Abruem e a USC e enfatizou que o Brasil é uma dos países prioritários para a University of Sunshine Cost expandir suas parcerias em várias áreas destacando as Ciências Florestais – em especial, a indústria da madeira e o manejo florestal. Presente nessa visita técnica, o presidente da Abruem, reitor Aldo, afirmou que as universidades estaduais e municipais brasileiras também estão abertas para prospectar parcerias, e acrescentou que a visita é uma demonstração do grande interesse em expandir a cooperação científica com a USC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *