Gestores de universidades associadas à Abruem ministram conferências na Cres 2018

No total, Associação esteve representada em cinco mesas nessa terça

Participação da Abruem teve início com a conferência do presidente da Associação (Foto: Ariane Pereira)

A Conferência Regional de Educação Superior para a América Latina e o Caribe, a Cres 2018, teve continuidade nessa terça-feira (12) com a realização de uma série de painéis temáticos. As mesas funcionam como uma espécie de preparação para os debates dos sete grupos temáticos do encontro, fornecendo argumentos e subsídios para essas discussões. Afinal, delas sairá o posicionamento das universidades latino-americanas e caribenhas, que será defendido durante a Conferência Mundial de Educação Superior, organizada pela ONU (Organização das Nações Unidas) e agendada para 2021.

Um desses fóruns, realizado pela manhã e intitulado “Políticas Públicas de Educação Superior para a América Latina e o Caribe”, teve como um de seus conferencistas presidente da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais), Aldo Nelson Bona – que também é reitor da Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste) e membro do Conselho de Administração do Iesalc, o Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe, braço da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Discussão sobre políticas públicas para a Educação Superior lotou o auditório (Foto: Ariane Pereira)

Em sua explanação, Bona apresentou comparativos entre números referentes às instituições de ensino superior públicas e privadas no Brasil para demonstrar que, atualmente, as universidades federais, estaduais e municipais têm como maior desafio o financiamento, que tem sido questionado pelos governos. Também lembrou que esse discurso tem se disseminado entre setores da sociedade. O presidente da Abruem ressaltou que, enquanto as instituições públicas têm os orçamentos reduzidos, 30% dos estudantes matriculados em universidades privadas brasileiras, segundo números de 2016, recebem financiamento do estado, via Prouni (Programa Universidade para Todos) ou Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

A argumentação do reitor brasileiro evidenciou que as universidade públicas reconhecem a necessidade de manter e mesmo ampliar a inclusão social, mas lembrou que, na atual conjuntura, não é possível. “Como incluir mais estudantes, com recursos cada vez mais escassos? Essa é uma conta que não fecha”. Ele concluiu retomando dizeres do organizador-geral da Cres 2018, professor Francisco Tamarit, na cerimônia de abertura da Conferência: “se as classes mais pobres não chegam as universidades, que se acabe com a pobreza e não com as instituições de ensino superior”.

Presidente da Câmara de Ead também representou Abruem na Cres 2018 (Foto: Ariane Pereira)

Além de Aldo Bona também participaram da mesa-redonda Roberto Markarian, reitor da Universidade da República, do Uruguai, e presidente da Associação de Universidade do Grupo de Montevidéu; Ivan Chávez, reitor da Universidade Ricardo Palma, no Peru, e presidente da Assembleia Nacional de Reitores; e Aldo Acevedo, reitor da Universidade de Valparaiso, no Chile, e vice-presidente da Associação de Reitores do Chile.

Já no período da tarde as universidades estaduais e municipais brasileiras estiveram representadas simultaneamente em quatro mesas de debate. A discussão intitulada “Acesso aberto e democratização do conhecimento” contou com a participação e palestrante do reitor da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) e presidente da Câmara de Educação a Distância da Abruem, Marcus Tomasi. Já o reitor da Unicamp (Universidade Estadual de Campina), Marcelo Knobel, ministrou palestra na mesa-redonda que abordou a temática “Inovação Tecnológica e desenvolvimento sócio-produtivo”. O vice-reitor da Unespar (Universidade Estadual do Paraná), Sidney Kempa, atuou como palestrante das discussões do painel “Educação Superior e cooperação multilateral”. Já o chefe de gabinete da Reitoria da Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste), Marcio Fernandes, foi um dos convidados da mesa de debates de número 4, que tratou do tema “Educação Superior e Meios de Comunicação”.

O vice-reitor da Unespar também representou a Abruem numa das mesas de debate da Conferência (Foto: Ariane Pereira)

 

 

Nessa quarta-feira (13), a Abruem segue representadas nas discussões da Cres 2018. Dessa vez, pelas professores Berenice Quinzani Jordão, da UEL (Universidade Estadual de Londrina), e Gisele Onuki, da Unespar (Universidade Estadual do Paraná), que participarão, respectivamente, das mesas-redondas “Políticas públicas de inclusão sócio-educativas na Educação Superior” e “Educação Superior, imigrantes/migrantes e desabrigados”.

Clique nos links e confira as apresentações de Aldo Nelson Bona; Marcus Tomasi; Sidney Kempa e Marcio Fernandes.

O chefe de gabinete da Unicentro representou as universidades estaduais e municipais em mesa sobre Comunicação (Foto: Ariane Pereira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *