“As Universidades públicas devem ser valorizadas”, afirma presidente da Abruem

A abertura do 63º Fórum da Abruem foi realizada na Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, em Campo Grande.

Durante a cerimônia da abertura do 63º Fórum da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), o reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e presidente da Abruem, Haroldo Reimer, destacou a importância da valorização das Universidades públicas no Brasil.

O evento contou com a participação de representantes de 46 Instituições de Ensino Superior, a secretária de Estado de Educação, professora Maria Cecília Amendola Mota, o deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi, a presidente do Conselho Estadual de Educação, Eva Katayama, o secretário executivo da CNPq, José Ricardo de Santana, e o reitores do Conselho Regional de Instituições de Ensino Superior (CRIE-MS), professores Marcelo Turine (UFMS) e Luiz Simão Staszczak.

Para Haroldo Reimer, o tema “Diálogos entre Universidade e Sociedade” vai muito além de projetos de extensão realizados nas instituições de ensino. “Praticamente 90% de toda a produção intelectual do país é realizada nas Universidades públicas. Muitos das nossas escolas recebem alunos de família com vulnerabilidade social, e aqui eles constituem um local de realização de sonho. Muitos inauguram uma nova tradição da família, levando o primeiro diploma para aquela casa. Os nossos governantes deveriam saber que  chave do sucesso e do bem estar de um povo está na capacidade de agregar valores por meio de tecnologia e inovação. Não há caminho que não passe por boa oferta de educação”, afirmou Reimer.

O reitor da UEMS, professor doutor Fábio Edir dos Santos Costa lembrou a responsabilidade social da UEMS, frente ao desenvolvimento de MS. “A nossa Universidade nasceu e cresceu com uma forte vocação social. No inicio da década de 1990 nós éramos um estado pobre, carente de ingredientes básicos para o desenvolvimento, entre os quais eu destaco a falta de professores qualificados atuando especialmente nas cidades do interior”, explicou

De acordo com o reitor, foi nesse cenário que surgiu a UEMS, com pelo menos duas missões iniciais: a primeira, levar a educação superior ao interior, democratizando o acesso à universidade; segundo, qualificar a educação básica, formando professores capazes de transformar, pela capacidade técnica e pela sensibilidade humana, as realidades onde estavam inseridos. “Hoje, 25 anos depois,  é possível olharmos ao redor, respirar fundo, e constatarmos que temos cumprido estas missões, e muitas outras que se somaram ao longo do tempo”, disse Fábio Edir.

O Fórum de Reitores da Abruem acontece nesta terça-feira e quarta-feira (13 e 14), em Campo Grande, com a organização da UEMS.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da UEMS. 

Fotos: Adriano Boeno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *