Arquivo do Autor: Abruem

Seminário discutirá relação entre instituições de ensino superior e desenvolvimento regional

Evento, no dia 18, é promoção do Centro de Estudos e Debates Estratégico da Câmara dos Deputados

O Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados (Cedes) promove, na próxima quarta-feira (18), o “Seminário Internacional Instituições de Ensino Superior e desenvolvimento regional: parcerias, iniciativas e perspectivas”. O evento, que tem início às 9h00, no Auditório Nereu Ramos, tem como objetivo delinear uma política nacional de desenvolvimento territorial para o país, inserindo formalmente as Instituições de Ensino Superior como centrais no processo. Para isso, segundo o deputado federal Vitor Lippi, relator do Seminário, serão criados Centros de Desenvolvimento Regionais (CDR), que funcionarão como articuladores na elaboração de planos estratégicos de desenvolvimento, visando impactos positivos em âmbitos sociais e ambientais.

A proposta de criação dos CDRs é resultado de um estudo realizado, ao longo de dois anos pelo Cedes – com a participaão de mais de 30 entidades do poder público, da iniciativa privada, da sociedade civil e, principalmente, das instituições de ensino superior – intitulado “Instituições de Ensino Superior e o Desenvolvimento Regional: potencialidades e desafios”. A proposta é que os CDRs conjuguem interesses acadêmicos e necessidades do território onde as instituições de ensino superior estão instaladas. Os estudantes envolvidos serão estimulados a permanecerem na região, desenvolvendo ações empreendedoras junto a suas comunidades e ao setor produtivo do entorno. Já para os professores, o trabalho nos CDRs contará para progressão na carreira.

De acordo com Paulo Barone, da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação, a intenção do MEC (Ministério da Educação) é transformar a proposta em política pública de Educação. Atualmente, são três os projetos piloto em andamento, implantados no fim do ano passado – um no sudoeste paulista; outro na região de Campanha, no Rio Grande do Sul; e o terceiro em Campina Grande, na Paraíba. Cada centro recebeu do MEC uma verba inicial de 150 mil reais para se estruturar e montar uma agenda de trabalho e uma carteira de projetos. Os primeiros resultados serão divulgados no seminário.

A meta é replicar as experiências bem sucedidas aos mais de 1.300 campi universitários brasileiros. Para isso, o MEC conta com o apoio do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) – organização social fomentada e supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – braço executor do projeto. Outros dois CDRs serão lançados durante o seminário: o do Distrito Federal e do Triângulo Mineiro.

Câmara de Internacionalização e Mobilidade dá início a etapa de 2 de 2018 do PMN

Antes de lançamento do Edital, coordenação do Programa de Mobilidade Nacional recebe sugestões das IES

O Programa de Mobilidade Nacional (PMN) da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) entra em sua segunda etapa desse ano de 2018. Para isso, a Câmara Técnica de Internacionalização e Mobilidade, responsável pelo gerenciamento do Programa, preparou, conforme adiantado ainda em 2017, um Edital único. O documento já está a disposição das 45 universidades afiliadas para que os coordenadores institucionais do PMN teçam suas considerações. As sugestões devem ser enviadas até o dia 26 de abril para o e-mail da secretaria da CT de Internacionalização e Mobilidade. Uma novidade, é a inclusão de um modelo Plano de Atividades, que deve ser seguido pelo aluno, onde ele discriminará qual é sua proposta para o período de mobilidade, com anuência do curso e da instituição de origem. A ideia é facilitar a validação do conteúdo cursado após o término do intercâmbio.

26 de abril também é o prazo limite, conforme o presidente da CT, reitor Haroldo Heimer (Universidade Estadual de Goiás – UEG), para que as universidades afiliadas enviem o Formulário de Captação de Vagas para 2018/2. “Cada Universidade interessada em participar do processo no segundo semestre desse ano deve realizar uma pesquisa interna para verificar quais cursos desejam participar do Programa, e quantas vagas cada um disponibilizará para o processo de mobilidade”, explica, O documento também deve ser enviada por e-mail para a coordenação do PMN.

A Câmara Técnica de Internacionalização e Mobilidade também divulgou o cronograma o PMN 2018/2:

27 a 30/04/2018: tabulação das vagas e publicação do edital no site oficial do Programa

02 a 30/05/2018: prazo de inscrições para a mobilidade, na Instituição de origem, observando o Edital Único

04 a 22/06/2018: período de análise das candidaturas pelas IES de destino

25 a 29/06/2018: prazo para o envio das cartas de aceite ou de recusa das candidaturas

Os aprovados iniciarão os processos de mobilidade a partir de agosto, dependendo do calendário acadêmico de cada Universidade.

Abruem recebe até dia 20 inscrições para o Encontro Preparatório para a Cres 2018

Ação, que também envolve a Andifes e o Conifes, será realizada em Brasília, em 24 de abril

Discutir e formalizar as propostas das instituições públicas de ensino superior brasileiras que serão apresentadas durante os debates da Cres 2018 (Conferência Regional de Educação Superior para a América Latina e o Caribe) é o objetivo do Seminário Proposta da Educação Pública Superior do Brasil à Cres 2018, que será realizado no próximo dia 24 de abril, em Brasília. O evento é uma promoção conjunta Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais), Andifes (Associação dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior do Brasil) e Conif (Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica).

“Na ocasião”, relata o presidente da Abruem, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), “os dirigentes das universidades integrantes do sistema público de ensino superior brasileiro de reunirão com o objetivo principal de elaborar um documento com a posição dessas instituições, que será defendida no mês de junho, durante a Cres, em Córdoba, na Argentina”.

Para isso, a programação do encontro preparatório contará com uma mesa-redonda no período da manhã, que contará com as presenças dos presidentes das três entidades promotoras do debate – Aldo Nelson Bona (Abruem), Emanuel Zagury Tourinho (Andifes) e Roberto Gil Rodrigues Almeida (Conif) –; do presidente da AUGM (Asociación de Universidades Grupo Montevideo); do coordenador-geral da Cres 2018, professor Francisco Tamarit; e do diretor do Iesalc-Unesco (Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), Pedro Guajardo.

Depois, no turno vespertino, os participantes se dividirão e participarão de um dos sete grupos temáticos da Cres 2018: 1. Desenvolvimento da Educação Superior frente aos desafios sociais da América Latina e do Caribe; 2. A Educação Superior como parte do sistema educativo na América Latina e no Carine; 3. Educação superior, diversidade cultural e interculturalidade na América Latina; 4. Educação Superior, internacionalização e integração na América Latina e no Caribe; 5. O papel estratégico da Educação Superior no desenvolvimento sustentável da América Latina e do Caribe; 6. A investigação científica e tecnológica e a inovação como motores do desenvolvimento humano, social e econômico para a América Latina e o Caribe; e 7. 100 anos da reforma universitária de Córdoba – Faça-se um novo manifesto da Educação Superior latinoamericana. Para melhor organização e distribuição, a Abruem solicita aos reitores afiliados que enviem, até a próxima sexta-feira (20), a Ficha de Inscrição, com a indicação de qual grupo pretende participar, para o e-mail da secretaria da Associação.

A Cres é o evento mais importante do Sistema de Educação Superior da América Latina e do Caribe e tem como objetivo analisar e debater a situação do sistema de educação na região e delinear um plano de ação conjunto para os próximos dez anos. “Nós precisamos reafirmar o sentido da educação como um bem social e um direito humano, portanto, um dever e uma responsabilidade do Estado”, esclarece Francisco Tamarit, ex-reitor da Universidade Nacional de Córdoba e integrante do Comitê Executivo da Cres 2018.

No dia 24, o Seminário proposta da Educação Pública Superior do Brasil à Cres 2018 será realizado no Edifício Finatec, no Campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB), localizado na avenida L3 Norte, entre 8h30 e 18h30.

62. Fórum Nacional de Reitores já tem palestrantes confirmados

Inscrições devem ser confirmadas até o próximo dia 27

A Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem) promoverá, entre os dias 23 e 26 de maio, o 62º Fórum Nacional de Reitores. O encontro desse primeiro semestre ocorrerá na cidade de Florianópolis e tem como realizadora a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Para subsidiar as discussões, conta o reitor da Udesc, Marcus Tomasi, “o tema central – ‘Crise: dilemas e oportunidades’ – foi subdividido em quatro linhas de debate: Financiamento das Universidades; Comunicação; Tecnologia da Informação e Inovação”.

Já estão confirmadas as participações, para as palestras, de Nelson Simões, do diretor-geral da RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa), que abordará como as iniciativas da RNP impactam os estados; e do jornalista e professor Wilson da Costa Bueno, que falará sobre a importância da Comunicação em tempos de crise.

Participação

As atividades do 62. Fórum Nacional de Reitores terão início às 20h, do dia 23 de maio, com a Cerimônia de Abertura e prosseguem nos dois dias seguintes, entre 9h e 18h, no Hotel Torres da Cachoeira.

A Abruem e a Udesc negociaram preços e condições especiais para os participantes do evento. O pacote de três diárias, com café da manhã e dois almoços (24 e 25 de maio), sai por R$ 740,00 para quartos individuais ou R$ 555,50 por pessoa, em apartamentos duplos. Já o pacote de duas diárias – também com café da manhã e dois almoços – foi calculado, respectivamente, em R$ 512,00 e R$ 389, para acomodações individuais e duplas. As reservas devem ser feitas diretamente com o hotel.

As fichas de inscrição devem ser preenchidas, já com os dados dos voos de chegada e partida, e enviada, por email, para a secretaria da Abruem até o próximo dia 27.

Presidente da Abruem participa de debate sobre o PLC 158/2017

Reunião foi convocada pelas Secretarias Executivas do MEC e do MCTIC

O presidente da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais), reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), participou, no último dia quatro, de uma reunião convocada pelas Secretarias Executivas do Ministério da Educação (MEC) e do MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação). Em pauta estava o PLC (Projeto de Lei da Câmara ) 158/2017, que trata da criação de Fundos Patrimoniais para as Universidades e do Programa de Excelência das Universidades e Institutos de Pesquisa Brasileiros.

A reunião foi conduzida pelos presidentes da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), o secretário executivo do MCTIC, e pelos representantes da Secretaria Executiva do MEC. Além do presidente da Abruem, também participaram os presidentes da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), do Confap (Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa), da ABC (Academia Brasileira de Ciência), da Embrapi (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e da Câmara de Educação Superior do CNE (Conselho Nacional de Educação), e, ainda, representantes da SBPC(Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência), do Confies (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica), da Abruc (Associação Brasileira das Universidade Comunitárias) e outras entidades assemelhadas.

Durante a reunião, segundo o presidente da Abruem, foram apresentadas as motivações que levaram à proposição do Projeto de Lei substitutivo, já em apreciação no Senado, também foram esclarecidas as dúvidas levantadas em relação à composição e ao gerenciamento dos fundos que ampararão os dois programas. Além de questões pontuais relacionadas ao texto (clique aqui e leia a Minuta do PLC 158/2017), “os questionamentos mais controversos, e que foram esclarecidos”, conforme relato de Bona, são os seguintes:

Capítulo I

a) a não permissão de que as fundações de apoio sejam entidades habilitadas a fazer a gestão dos fundos captados para as Universidades. “Sobre isso, foi dito que as Universidades podem decidir, se assim o quiserem, contratar as suas fundações de apoio para executar projetos executados com recursos captados para o Fundo Patrimonial, mas que este fundo deve ter uma governança própria, com participação de diversos segmentos, na forma do que dispõe o projeto de lei”, esclarece Bona;

b) as deduções tributárias serem feitas somente para empresas que operam com tributação pelo lucro real, não possibilitando as que operam com lucro presumido, “tendo sido esclarecido”, conta o presidente da Abruem, “que esse é o único modelo possível no momento, levando-se em conta a legislação já existente sobre o tema”.

Capítulo II

O fundo financeiro privado criado para financiar o Programa de Excelência das Universidades e Institutos de Pesquisa não opera com recursos novos, mas apenas objetiva captar recursos que já estão previstos para investimentos em C&T no país. De acordo com Aldo, “a criação deste fundo financeiro em nada retira dos investimentos legais já feitos em C&T pelas empresas – principalmente as estatais -, mas apenas obriga aquelas que não investem a totalidade dos recursos devidos a recolherem ao Fundo ora criado, já no exercício seguinte, os valores não investidos em C&T, assegurando que elas cumpram as determinações legais. Assim, as Universidades e Institutos podem concorrer aos recursos tanto candidatando projetos nas próprias empresas, como pleiteando nos editais a serem abertos pelo Conselho Gestor deste novo fundo financeiro”.

Quanto ao projeto de lei como um todo, a maior preocupação é de que a criação destes fundos não seja acompanhada da diminuição do orçamento público para o Ensino Superior, a Ciência, a Tecnologia e a Inovação. “Segundo os gestores dos Ministérios, o texto da minuta assegura que isso não ocorrerá”, salienta o presidente da Abruem.

A Abruem tem até essa segunda-feira (09) para apresentar seu posicionamento, apoiando ou não o PLC 158/2017, já que, segundo foi dito na reunião, o objetivo é construir consenso entre as entidades ligadas à área de C&T para facilitar a tramitação e apreciação do Projeto de Lei pelo Congresso Nacional. 

A Andifes, o Confap, a Embrapi, o CNPq e a Capes já manifestaram apoio ao projeto. As demais entidades participantes da reunião, assim como a Abruem, solicitaram um tempo para ouvir os seus associados para expressar a posição da entidade.

Definida programação para a Missão Internacional 2018, na Hungria

No total, serão realizadas visitas técnicas em 12 universidades do país

12 universidades da Hungria – cinco localizadas na capital, Budapeste, e outras sete no interior do país – serão visitadas pelos reitores e diretores de Relações Internacionais das universidades estaduais e municipais brasileiras, que integrarem a Missão Internacional 2018, organizada pela Abruem, em conjunto com a Embaixada da Hungria no Brasil.

O embaixador da Hungria no Brasil e o presidente da Abruem, em reunião na sede da Embaixada, em Brasília

A programação foi fechada em reunião entre o presidente da Abruem, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste); o secretário executivo da Associação, Carlos Roberto Ferreira, o embaixador da Hungria no Brasil, senhor Norbert Konkoly; e o adido comercial da Embaixada, Péter Sutyinszki.

“Foi definido”, ressalta Aldo, “que os integrantes da Comitiva da Abruem devem chegar a Budapeste até as 12h do dia 24 de junho. Afinal, ainda no período da tarde, às 17h, teremos uma reunião de recepção e já no dia seguinte tem início as visitas técnicas propriamente”.

Na primeira semana, os encontros visando a aproximação entre as universidades brasileiras e húngaras com vistas à internacionalização se concentrarão em Budapeste, com visitas previstas as Universidades de Tecnologia e Economia; Centro-Europeia; Escola de Negócios de Ciências Aplicadas; de Veterinária; e Semmelweis. Já na segunda metade da missão os reitores percorrerão o interior do país, conhecendo as Universidades Szent István, em Godollo; de Miskolc; de Nyíregyháza; de Sopron; de Károly Eszterházy, em Eger; de Dunaújváros; e de Szeged. (clique aqui e confira a programação)

“Inicialmente, a proposta é que a missão percorresse a Hungria e outros países da região. Porém, esse planejamento inicial não se concretizará em virtude do grande número de instituições de ensino superior da própria Hungria, que demonstraram interesse em receber os reitores das Universidades afiliadas à Abruem”, finaliza Bona.

Reunião administrativa de abril será no Rio de Janeiro

Atividade ocorrerá paralelamente à Conferência Faubai 2018

A reunião administrativa de abril da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais), pelo segundo mês consecutivo, ocorrerá fora da sede da entidade em Brasília. Dessa vez, o motivo para a transferência é, de acordo com o presidente da Associação, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), “a possibilidade de realizar nosso encontro de forma integrada à Conferência 2018 da Faubai”.

A Faubai 2018 Conference tem como tema “Internationalization and Research: Challenges and Strategies” e ocorrerá entre os dias 14 e 18 de abril, no Centro de Eventos Sul America, no Rio de Janeiro. Nesse ano, a programação contará com uma atividade específica para os reitores das instituições de ensino superior brasileiras, no dia 17: o President’s Day, focado na temática “ Global engagement for relevance and impact”. A ação, no período da manhã, com uma palestra e três mesas-redondas. Já a tarde, serão três grupos de trabalho simultâneos que debaterão a internacionalização da educação superior e a cooperação internacional. (clique aqui para conferir a programação na íntegra)

Já a reunião administrativa de abril da Abruem ocorrerá no dia anterior do President’s Day, na segunda-feira, 16. O encontro terá início às 14h, no Salão de Eventos do Hotel Windsor Plaza, localizado na avenida Princesa Izabel, 263, em Copacabana.

Os reitores que desejarem se hospedar neste hotel, podem reservar as acomodações até a próxima sexta-feira, dia 06 de abril. A Abruem conseguiu o bloqueio de 15 apartamento standard, com tarifas de 259 reais para quartos individuais e 277 para os duplos. As reservas devem ser feitas por e-mail, e para ter garantia da tarifa deve ser informado um código específico, que pode ser obtido junto à secretaria da Abruem.

A Faubai oferecerá translado hotel – Centro de Eventos – hotel para os reitores inscritos na Conferência 2018.

Definida programação do Encontro Preparatório para a Cres 2018

Promoção é da Andifes, do Conif e da Abruem

O Encontro Preparatório para a Cres 2018 (Conferência Regional de Educação Superior da América Latina e do Caribe) promovido, conjuntamente, pela Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior do Brasil), pelo Conif (Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica) e pela Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) já tem data confirmada: 24 de abril.

Na ocasião, os dirigentes das universidades integrantes do sistema público de ensino superior brasileiro se reunião em Brasília tendo como principal objetivo a elaborarão um documento com a posição das instituições, que será defendida no mês de junho, durante a Cres, em Córdoba, na Argentina.

Para isso, uma programação foi especialmente pensada. “Pela manhã”, conta o presidente da Abruem, reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste), “nós teremos uma explanação do diretor do Iesalc – Instituto Internacional da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para a Educação Superior na América Latina e no Caribe) – Pedro Henríquez Guajardo, que será seguida pela palestra ‘Financiamento Público da Educação Superior’, ministrada pelo ex-reitor da Universidad Nacional de Córdoba e coordenador-geral da Cres 2018, Francisco Tamarit”.

Já no período da tarde, os reitores participantes se dividirão em sete grupos de trabalhos, seguindo os sete temas centrais da Conferência Regional de Educação Superior da América Latina e do Caribe: 1. Desenvolvimento da Educação Superior frente aos desafios sociais da América Latina e do Caribe; 2. A Educação Superior como parte do sistema educativo na América Latina e no Carine; 3. Educação superior, diversidade cultural e interculturalidade na América Latina; 4. Educação Superior, internacionalização e integração na América Latina e no Caribe; 5. O papel estratégico da Educação Superior no desenvolvimento sustentável da América Latina e do Caribe; 6. A investigação científica e tecnológica e a inovação como motores do desenvolvimento humano, social e econômico para a América Latina e o Caribe; e 7. 100 anos da reforma universitária de Córdoba – Faça-se um novo manifesto da Educação Superior latinoamericana.

Cres 2018

A Conferência Regional de Educação Superior da América Latina e do Caribe, a Cres 2018, está se aproximando. Organizada pelo Iesalc (Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe), braço da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), em parceria com a Universidade Nacional de Córdova, com o Conselho Interuniversitário Nacional da Argentina (CIN), e com a Secretaria de Políticas Universitárias do Ministério de Educação e Esportes da República Argentina (SPU), o encontro ocorrerá entre os dias 11 e 15 de junho, na cidade de Córdoba, na Argentina.

A Cres é o evento mais importante do Sistema de Educação Superior da América Latina e do Caribe e tem como objetivo analisar e debater a situação do sistema de educação na região e delinear um plano de ação conjunto para os próximos dez anos. “Nós precisamos reafirmar o sentido da educação como um bem social e um direito humano, portanto, um dever e uma responsabilidade do Estado”, esclarece Francisco Tamarit, ex-reitor da Universidade Nacional de Córdoba e integrante do Comitê Executivo da Cres 2018.

Reunião administrativa de março: principais temas abordados

Encontro foi realizado em Maceió

Adeus e boas-vindas

Rozangela de Almeida Fernandes Wyszomirska recebe o Diploma de Associada Honorária

A reunião administrativa do mês de março da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) foi marcada pela despedida da professora Rozangela Maria de Almeida Fernandes Wyszomirska, que deixou a reitoria da Uncisal (Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas), após o fim do seu mandato e recebeu o diploma de associada benemérita da Abruem. Rozangela esteve a frente da administração da Instituição de Ensino Superior alagoana entre os anos de 2009 e 2017. Agora, o posto de reitor foi assumido pelo docente Henrique de Oliveira Costa, que também foi acolhido durante a reunião.

Nova sede

Recepção aos reitores das IES estaduais e municipais contou com a presença do governador de Alagoas, Renan Filho

A nova sede da Associação voltou a ser colocada em pauta. Dessa vez, os reitores foram comunicados que as reformas das salas próprias, adquiridas da Abipti (Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação), tiveram início na última semana de março e devem ser concluídas até o final deste mês. Antes mesmo da mudança de endereço, a Sala de Reuniões da atual sede, no complexo Fusion, foi desativada para que a Associação pague, até a transferência definitiva, o aluguel apenas de uma sala, que é a de funcionamento da Secretaria da Associação. As obras de revitalização, como informado, na reunião de fevereiro vão custar em torno de R$ 15 mil. A sede própria da Abruem é composta por duas salas comerciais – as de número 102 e 105 –, localizadas no edifício SCLN, número 109, bloco C, no início da Asa Norte, em Brasília.

PNPG 2011-2020

Reitores foram recepcionados no Palácio Floriano Peixoto, em Alagoas

A Minuta com sugestões das afiliadas da Abruem para o processo de avaliação da Pós-Graduação, conforme solicitação da Capes (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), elaborada pela Câmara de Pós-Graduação, foi discutida pelos reitores presentes no encontro de março, realizado em Alagoas. A análise das instituições de ensino superior estaduais e municipais é que a principal questão a ser considerada diz respeito ao modelo adotado. Segundo o Ofício, encaminhado à Comissão Especial para acompanhar e monitorar a implantação do PNPG, “o processo poderia continuar mensurando indicadores quantitativos de produção”, porém, poderia incluir “indicadores que possam considerar a dimensão qualitativa da atuação dos programas”. De acordo com o documento, a pós-graduação no país é heterogênea e, por isso, os indicadores devem levar em consideração as desigualdades regionais. Também compõe o Ofício um conjunto de 22 propostas pontuais.

Sisu

Programação contou também com visita à Serra da Barriga e à Comunidade Muquém, no município de União dos Palmares

A permanência das universidades afiliadas à Abruem no Sisu, que é o Sistema de Seleção Unificada do governo federal, voltou a ser debatida na última reunião administrativa. Como a Câmara de Graduação não conseguiu o agendamento de uma audiência com o ministro da Educação, Mendonça Filho, nem mesmo um aval de que será feito um remanejamento, em caráter de urgência, de recursos para a abertura de um Edital do Pnaest (Programa Nacional de Assistência Estudantil para as Instituições de Educação Superior Públicas Estaduais) ainda este ano, foi decidido que as instituições afiliadas devem discutir o assunto internamente e cada uma deve, livremente, decidir pela manutenção ou rompimento do convênio com o MEC (Ministério da Educação). Ainda assim, como os recursos do Pnaest não são liberados desde a edição de 2014 do Sisu, A Câmara Técnica de Graduação seguirá tratando do assunto.